Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Pesquisa aponta alto risco de contaminação cruzada em 7 itens de pias de cozinhas

Estudo feito em Campinas encontrou milhões de bactérias e fungos em panos de pia, panos de prato, rodinhos, ralos, lixeiras de pia e outros produtos. Micro-organismos podem causar de diarreia a infecção urinária.

Se você é daqueles que acham que só trocar o saco da lixeirinha da pia, dar uma lavada rápida no paninho, na esponja e na tábua de carne são suficientes, fique atento aos riscos de contaminação cruzada na sua cozinha. Uma pesquisa feita em Campinas (SP) analisou esses e outros produtos e encontrou milhões de fungos e bactérias prejudiciais à saúde, que podem causar desde diarreia a infecção urinária.

O estudo durou três meses e foi conduzido pelo curso de biomedicina do Centro Universitário UniMetrocamp Wyden. Nove cozinhas de casas escolhidas aleatoriamente receberam as pesquisadoras para coleta de amostras de sete itens que ficam na bancada da pia.

Ranking da contaminação

  1. Lixeira – 1,744 milhão de bactérias e 1.180 fungos
  2. Esponja de lavar louça – 1,322 milhão de bactérias e 440 fungos
  3. Ralo – 1,302 milhão de bactérias e 801 mil fungos
  4. Pano de pia – 1,200 milhão de bactérias e 4 mil fungos
  5. Pano de prato – 975 mil bactérias
  6. Rodo de pia – 242,7 mil bactérias e 15.750 fungos
  7. Tábua de carne – 16,4 mil bactérias e 8.170 fungos

Alguns dos micro-organismos identificados pela pesquisa foram E.Coli, Pseudomonas aeruginosa, Staphylococcus aureus, Klebsiella pneumoniae, Enterobacter aerogenes, Candida e Rhodotorula.

“Se você esquece de lavar as mãos, isso acaba passando para o alimento. Se muitas vezes você vai consumir aquele alimento cru, que é uma verdura, um legume, que não vai sofrer cozimento, essas bactérias vão ser ingeridas por você durante a alimentação, e pode causar problemas desagradáveis”, afirma a orientadora da pesquisa e doutora em ciências de alimentos Rosana Siqueira.

Pessoas com imunidade baixa, crianças e idosos estão mais sujeitos a problemas de saúde por conta da exposição aos micro-organismos, segundo o estudo.

Os sintomas de contaminação pelos agentes identificados são:

  • diarreia
  • febre
  • vômitos
  • dores abdominais
  • intoxicação alimentar
  • dor de garganta
  • infecção urinária
  • Ideal é lixeira no chão

    A lixeirinha chamou a atenção pela falta de higiene. Foram analisadas as partes externa, interna e a tampa.

    “Às vezes a gente passa a semana, meses, sem limpar o lixinho com água sanitária ou álcool, por falta de tempo e por não saber que tem tanto micro-organismo. Às vezes fica úmido e favorece bastante o crescimento. A maioria das pessoas acaba só trocando o saquinho”, afirma a graduanda Fernanda Baptista.

    Fernanda também explica que o ideal é que as cozinhas domiciliares tenham a lixeira no chão, com pedal, para evitar o uso das mãos. Se for na pia, precisa ser bem limpa.

    “O lixinho fica no local onde é feita a manipulação do alimento, então a gente pode contaminar a mão e, assim, contaminar o alimento”, explica a aluna Sarah Stocco, que também realizou as coletas e análises. A terceira integrante do estudo é a graduanda Julie Aki Mashima.

    fonte :G1

Deixe seu comentário:

Peça sua música

Pedido de Música

Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Clique aqui e faça o seu Pedido de Música

Menu

Curta a Nova no Facebook

Nossas Redes

RÁDIO D2FM